Política  
 
 
 

Pensamento semente das Ecovilas

As comunidades devem ser desenhados  numa escala para permitir  que todas as pessoas possam ser ouvidas diretamente sendo parte de um círculo.
Especialistas afirmam que a parte mais importante do design físico de um assentamento  é o desenvolvimento social da comunidade , e design  social deve  ser visto como um processo de construção do grupo.
* Um dos atributos mais importantes para criarmos  uma comunidade é a disposição  de se trabalhar com outros num espírito de grupo e time.
O desenho social deve:
*considerar  a transição  do poder sobre, para  o poder com, libertando  o poder para seu uso descentralizado  numa gestão circular eficiente;
*abraçar as diferenças como um sinal de saúde da comunidade;
*estabelecer processos inclusivos  e consensuais de tomada da decisão:
*estimular os processos de facilitação efetiva  de conflitos como um convite ao aprofundamento e crescimento das relações.
 

Artigos no Jornal Pedaço da Vila

POLÍTICA E CULTURA DE PAZ: Essa união é possível?
Maridite Oliveira

As Nações Unidas, "maior obra de engenharia política do mundo", criaram a Década de Cultura de Paz e Não-Violência com ênfase nas crianças do mundo (2001-2010), gerenciada por sua agência UNESCO – Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura. O início da Década foi marcada pela criação, no ano anterior, do Manifesto 2000, com princípios que permitiam a transformação de uma cultura de violência, numa cultura de paz. Aproveito para lembrá-los:

1 - Ouvir para compreender
2 - Ser Generoso
3 - Redescobrir a Solidariedade
4 - Rejeitar a violência
5 - Preservar o planeta e
6 - Respeitar a vida.

Dessa forma, todos devem se comprometer com a cultura de paz praticando seus princípios, pois a intenção vai além dos tratados de paz assinados por governos.

A população deve assumir o compromisso com essa cultura.

Em números absolutos, o Brasil ficou em segundo lugar em relação à Índia na coleta de assinaturas desse Manifesto, mas em relação proporcional estamos em primeiro lugar.

O que isso significa? A população brasileira manifestou seu desejo de viver uma cultura de paz. Muitas organizações que se envolveram na coleta de assinaturas uniram-se e estão sustentando essa Década plantando ações que possam ficar para as futuras gerações.
Como estamos falando de democracia, quero citar a força dessa cultura de paz como política pública. Cito duas iniciativas que existem vizinhas ao nosso bairro: a primeira foi a criação do Conselho Parlamentar pela Cultura de Paz (ConPAZ ), um órgão oficial da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, composto por representantes da sociedade civil organizada e deputados estaduais dos vários partidos que visam a criação de políticas públicas permeadas por cultura de paz.

A segunda é a UMAPAZ – Universidade Livre do Meio Ambiente e Cultura de Paz, uma iniciativa da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente em parceria com uma rede de organizações que atuam com cultura de paz, para promover uma educação livre e que contemple uma vida sustentável e pacífica para toda a cidade de São Paulo.

Como você pode ver, a cultura de paz está próxima do nosso bairro. Acrescentaria ainda que o Ecobairro é uma programa que também está nascendo em nosso bairro com apoio das Nações Unidas e que integra duas Décadas, a de Cultura de Paz com a de Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005 a 2014). O apelo das Nações Unidas é claro: precisamos começar a viver e produzir de forma sustentável.

Vivemos numa época em que acreditamos na democracia, mas depositamos toda a confiança numa democracia representativa através do voto e, paulatinamente estamos dando passos na direção de uma democracia participativa. Esse é o apelo da cultura de paz, ou seja, a integração de ambas. Tenho certeza de que a cultura de paz é possível na política, mas só se você participar.
Onde começar? Comece você, em sua família. Reflita sobre os princípios da cultura de paz, chame seu vizinho, o quarteirão e depois todo o bairro. Um dado interessante pode ser, nesse momento, inspirador: recentemente, a Vila Mariana foi apontada como um bairro de paz, pois tem o menor índice de violência de São Paulo (uma boa notícia que vem com um compromisso a mais com esta causa). Lembre-se: é possível, se você fizer parte!

 


Conselho de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz
Lara Freitas

Mais um passo para uma Vila Mariana Sustentável Em plena semana do meio ambiente, o Ecobairro, o Jornal Pedaço da Vila e a Subprefeitura da Vila Mariana articulam a implantação do Conselho de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz em nosso bairro.

Este Conselho é uma iniciativa de uma Portaria Intersecretarial da Prefeitura de São Paulo envolvendo as seguintes Secretarias: Verde e do Meio Ambiente, Coordenação das Subprefeituras, Participação e Parcerias e a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação. Será um Conselho que atuará no âmbito de cada subprefeitura, com caráter participativo e consultivo.

Dentre as várias atribuições destacamos que ele colaborará na formulação da Política Municipal de Proteção ao Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz, por meio de recomendações e proposições de planos, programas e projetos ao Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - CADES, com as demais Secretarias já citadas e promover ações conjuntas com outros Conselhos que atuem na região das Subprefeituras correspondentes.

O Conselho terá a seguinte composição: 08 (oito) representantes e até 08 (oito) suplentes eleitos entre cidadãos maiores de 16 (dezesseis) anos que residam ou trabalhem na área de abrangência da respectiva Subprefeitura; 04 (quatro) representantes das Secretarias respectivas. Outras Secretarias poderão formalizar a indicação de 01 (um) representante, desde que o número dos representantes do executivo não ultrapasse a 08 (oito), garantindo assim o critério de paridade, tão útil na democracia participativa, um princípio da cultura de paz.

Os Conselheiros serão escolhidos pelos cidadãos, eleitos em conferências regionais, a ser organizada por cada Subprefeitura e as demais Secretarias da Portaria e não serão remunerados.

Esta é uma oportunidade para implantarmos uma gestão local de forma participativa e no espírito da cultura de paz.
Temos bons vizinhos em nossa Subprefeitura: o ConPAZ – Conselho Parlamentar pela Cultura de Paz da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo e a UMAPAZ – Universidade Livre do Meio Ambiente e Cultura de Paz da Secretaria do Verde no Parque Ibirapuera, que apóiam essa iniciativa.

Você leitor do Pedaço que quiser participar do Conselho, envie um e-mail para o [email protected] dizendo: quero participar do Conselho de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz da Vila Mariana.
As Nações Unidas apóia o Ecobairro porque estamos comprometidos com as Décadas Internacionais de Cultura de Paz (2001 a 2010) e de Educação para um Desenvolvimento Sustentável (2005 a 2014). Temos o compromisso de evocar a responsabilidade global em ações locais, e isto depende de todos nós.

Participe e viva um bairro sustentável!