Educação  
 
 
 

Pensamento semente das Ecovilas

Deve propor uma abordagem transdisciplinar para um futuro sustentável. A educação envolve a integração transversal de três abordagens para a Educação ambiental: “Educação no ambiente, Educação sobre  o ambiente e Educação para o ambiente”.
Crescimento pessoal, aprendizado e criatividade  são valorizados e nutridos; oportunidades para o ensino e aprendizado  são disponibilizados para todas as faixas etárias  através de uma variedade  de formas educacionais.
É tarefa da todos educar  uma criança.
Você é estudante  e professor; a comunidade sua classe.
Elementos de um curriculum de educação deve ser  baseado em transmissão e experiência direta.
Promovendo uma percepção e experiência sistêmica, holística, enfatizando vocação e habilidades.
Deve curar a separação entre mente-corpo-espirito, alma-terra-sociedade.
 

Artigos no Jornal Pedaço da Vila

Uma Educação que Respeita o Planeta
Giuliana Capello

Fim de ano é sempre assim: todo mundo faz um balanço das ações e conquistas. Tem quem olha para trás e vê um emprego melhor, um filho mais crescido, a saúde restabelecida. Mas tem também quem transcende a vida pessoal e pára para pensar na comunidade do bairro, da cidade, do país. Na escala macro, 2006 ficou marcado como o ano em que a população elegeu seu presidente e viu a seleção do Brasil perder na Alemanha, entre tantos outros fatos importantes que não cabe citar neste momento. Na esfera micro, por sua vez, gostaria de mencionar uma novidade interessante. Na nossa querida Vila Mariana, surgiu a Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz – UMAPAZ. Dentro do Parque Ibirapuera, o espaço oferece palestras, cursos e uma intensa agenda cultural grátis, com enfoque nos temas ambientais da atualidade. O curso mais marcante do ano durou quatro meses. Precioso, o currículo do "Educação Gaia" foi concebido por estudiosos do meio ambiente, que pesquisam alternativas para o resgate de uma relação mais harmoniosa entre a natureza e os seres humanos. Eles vieram da Escócia, onde fica a ecovila Findhorn (exemplo de vida sustentável em comunidade), a convite das entidades organizadoras do curso: UMAPAZ, Ecobairro e Ecovila São Paulo. Uma das responsáveis pelo curso foi May East, brasileira que mora em Findhorn há 14 anos. Cerca de 100 pessoas – muitas delas da Vila Mariana – participaram do curso. Durante as aulas, elas ouviram sobre cidades e bairros no mundo inteiro que estão conquistando uma melhor qualidade de vida a partir de ações que melhoram a relação entre os moradores e o meio ambiente. Na sala de aula estiveram, entre outros, educadores, administradores de parques, profissionais liberais, arquitetos, engenheiros, médicos e economistas. Todos com o mesmo objetivo: buscar conhecimento para colocar em prática no dia-a-dia. Quer saber mais? Então, fique atento porque em 2007 teremos a segunda turma dos "construtores de comunidades sustentáveis". Ainda em janeiro, a UMAPAZ deverá dar início à seleção dos participantes, processo necessário em razão da grande procura. Em tempo, os formandos de 2006 estão começando a formar uma rede para atuar na cidade. E, como tudo mundo faz em fim de ano, já estão cheios de promessas para 2007. É esperar para ver – e se engajar também! Que o próximo ano seja ainda melhor para todos nós! Até lá!


Educação sem Fronteiras: o espírito do Ecobairro
Lara Freitas e Paullo Santos

Ali ficava clara a necessidade planetária de uma educação sustentável, uma educação que se ocupasse em integrar o ser humano com o uso correto dos recursos renováveis: um desafio para os educadores contemporâneos. Esse pedido vem do fato de que não podemos continuar a educação sem nos ocuparmos com a preservação da vida na Terra. Neste apelo, a Rede Internacional das Ecovilas criou um currículo educacional baseado em suas experiências ao longo de mais de 20 anos: Educação Gaia. Fomos para o lançamento dessa proposta na Ecovila Findhorn, na Escócia, quando ali percebemos a riqueza da proposta que trata de quatro dimensões: Social, Econômica, Ecológica e Visão de Mundo (esta última traz o tempero da transformação do desenvolvimento sustentável: a expansão da consciência e a prática de valores que nos permite uma visão sistêmica e orgânica). Encantados com a proposta, ao chegar ao Brasil apresentamos a idéia à Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz (UMAPAZ), uma iniciativa em Rede da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, que estava acabando de nascer no Parque Ibirapuera, uma sincronicidade indescritível. Esse curso capacitou oitenta pessoas em 2006 e um número semelhante em 2007 e, em 2008, reúne 101 pessoas em capacitação. Dessa iniciativa estão nascendo pessoas que poderão de forma consciente gerar mudanças no eixo urbano, adaptando à nossa realidade. O que mais nos chamou a atenção é que na mesma época nasceram várias iniciativas com objetivos semelhantes: educar para uma vida sustentável e pacífica. De onde vem essa inspiração? Da fonte: A MÃE TERRA. Portanto, a educação sustentável nasce primeiro no coração do planeta e se irradia para todos os seres, sem qualquer fronteira. A palavra "educar" vem do latim "educere", vir de dentro, o que em épocas antropocêntricas imaginamos com a nossa quase eterna arrogância que seria algo que viria de dentro do ser humano. Mas a educação sustentável vem de dentro do coração de Gaia, que significa Terra para os Gregos. Fica uma pergunta: qual será o próximo passo para a educação? Já começamos a vislumbrar uma Educação Cósmica que nasce pela UNIKÓSMICA - Universidade Livre de Educação Cósmica. Durante o dia, o sol brilha para um lado do planeta e, durante a noite, podemos ver as estrelas. Portanto, o Ecobairro é uma estrela na escuridão da vida insustentável da maioria e uma alegria para aqueles que têm a capacidade de enxergar longe através do telescópio do coração.